Conferência de Imprensa da Coligação Lousada Viiva

Faz hoje precisamente um ano que decorreram as últimas eleições autárquicas. Pretende a Coligação Lousada Viva proceder à avaliação do primeiro ano deste mandato e refletir sobre a situação política autárquica que entretanto se vivencia no concelho de Lousada.

Há um ano atrás fomos a votos. Apresentamos uma candidatura e um programa credível para o concelho de Lousada. Defendemos o progresso do concelho assente numa matriz social e humanista, onde a preocupação maior foi, é e continuará a ser, a qualidade de vida dos lousadenses e a fixação de melhores condições para o bem-estar das suas famílias. Não obtivemos o resultado que ambicionávamos. Aumentamos em toda a linha os resultados eleitorais, comparativamente ao ato eleitoral precedente, mas ficamos a escassos votos (676) de vencer as eleições para a Câmara Municipal. Não goramos vencer, mas não viramos as costas aos compromissos estabelecidos em campanha eleitoral, nem a todas e a todos os lousadenses que depositaram o seu voto de confiança num novo projeto para o nosso concelho. Estamos aqui como sempre estivemos: disponíveis para o concelho, seja hoje no papel de oposição, seja amanhã no papel de poder autárquico.

Decorrido um ano após o dia das eleições, que ditou um novo executivo municipal e a perspetiva de um novo ciclo político, o que se vislumbra destacar deste novo período é que, principalmente, de novo tem muito pouco. Nem de ambição, nem de concretização.

Ao novo Presidente de Câmara Municipal, Dr. Pedro Machado, não se conhece, nem se vislumbra a concretização de qualquer medida importante para o concelho.

  1. Aliás, foi sua primeira medida, aquela que porventura seria a sua marca ou medida de gestão de impacto, o aumento de 1% na Taxa de Lixo, 2% no preço da Água e 2% na Taxa de Saneamento. Foi este o brinde do novo Presidente de Câmara Municipal às famílias lousadenses.
  1. O Dr. Pedro Machado, enquanto Presidente de Câmara, esqueceu as preocupações políticas para o concelho para logo tratar das preocupações partidárias:
    1. Nomeou para Chefe de Gabinete o genro do Presidente do Partido Socialista de Lousada e ex-Presidente da JS;
    2. Contratou, pelo valor global de 24.600,00€/ano, uma empresa do seu mandatário de campanha, criada à pressa (ver documento anexo), para serviços de apoio à gestão/programação do Auditório Municipal;
    3. “Nomeou” a esposa para chefe da Divisão de Comunicação, Património, Cultura, Educação e Desporto, com o propósito de aumentar o seu ordenado mensal bruto em centenas de euros mensais (diferença de ordenado de Técnico Superior para ordenado de Chefe de Divisão) e “controlar” a maior divisão administrativa da autarquia;
    4. Mantém o próprio Presidente do Partido Socialista de Lousada, Prof. José Faria Santalha, em regime de “via verde”, a por e dispor, mandar e desmandar, em tudo o que são serviços e estruturas municipais, enquanto o próprio Presidente da Câmara ainda anda perdido em campanha eleitoral;
    5. Partidarizou os Conselhos Gerais de Escola, indicando apenas Presidentes de Junta de Freguesia eleitos pelo Partido Socialista, mesmo para as Escolas localizadas em freguesias governadas por Presidentes de Junta eleitos pela Coligação Lousada Viva, como é o caso de Lustosa e Nevogilde.

 

  1. Neste primeiro ano de mandato, o Dr. Pedro Machado também já revelou fragilidades de gestão e competência, como foram:
    1. O incumprimento do prazo legal de 180 dias com vista a implementação de novos contratos-programa plurianuais com as novas Juntas de Freguesia, criando um vazio de autonomia, poder e capacidade financeira de intervenção nas Juntas de Freguesia;
    2. A incapacidade de envolver as forças vivas locais, desde logo os Presidentes de Junta de Freguesia, na definição concertada de prioridades de intervenção municipal;
    3. O adequado planeamento na preparação e contratação das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC’s) para o presente ano letivo de 2014/2015, provocando vazios de horários e todos os constrangimentos logísticos e familiares que daí resultam, esperando-se a plena resolução apenas para novembro;
    4. A incapacidade para captar e fixar investimentos, públicos e privados, que potenciem a criação de postos de trabalho e o desenvolvimento do concelho. Veja-se que este Presidente e os seus pares ainda não perceberam a razão do Parque Industrial de Lustosa continuar deserto de empresas, onde o preço praticado por metro quadrado continua proibitório.

 

  1. Em suma, o Dr. Pedro Machado tem-se revelado um Presidente de Câmara muito fraco. Evidência política da sua fraqueza, vazio de conteúdo e fragilidade tem sido o investimento a que tem devotado à política de show off, com recurso à aquisição constante de publicidade (programas de TV, páginas no JN,), custando milhares de euros aos munícipes lousadenes, apenas para se autopromover, acusando vários tiques de apatia e insegurança.

 

  1. Note-se também, e para corroborar o que anteriormente foi dito, que fraco é o Presidente que precisa de se apropriar do que a sociedade civil faz para se fazer notar, como foram exemplos bem recentes a criação da Associação Lousadense dos Deficientes, Seus Amigos e Familiares, e da Cooperativa Lousavidas.

Por outro lado, os eleitos pela Coligação Lousada Viva mantêm-se ativos, presentes e intransigentes na defesa do seu contrato eleitoral, tendo com isto já conseguido:

  1. Que o Município apoiasse e assim assegurasse as despesas de seguro e exames médicos em todas as modalidades desportivas em Lousada. De resto uma das propostas da Coligação Lousada Viva no seu programa eleitoral.
  2. Que o apoio na compra de medicamentos estes possam ser adquiridos em todas as farmácias do concelho, deixando assim de beneficiar apenas duas farmácias do Concelho e proporcionar aos Lousadenses a facilidade de poder adquirir esses medicamentos com apoio Municipal junto de suas residências.
  3. E que, resultado das inúmeras visitas às Freguesias do nosso Concelho e das inúmeras reuniões com os executivos de freguesia e respetivos membros de Assembleia de Freguesia, apresentamos dezenas de propostas e recomendações, na área Social,  Desportiva, Educativa, Ambiente, rede viária e eletricidade, no sentido de melhorar as condições de Vida dos Lousadenses.

Em síntese, a nossa ambição para o concelho não esmoreceu nem esmorece. Vivemos diariamente o concelho como vivemos a nossa casa. Sentimos os problemas dos lousadenses como sentimos os nossos próprios problemas.

 

Como todos sabem, assumimos um compromisso com os lousadenses, onde quase metade dos eleitores confiou na nossa equipa e no nosso projeto, por isso não viramos costas a todos aqueles e aquelas que acreditaram em nós; não viramos costas às nossas convicções; não viramos costas a Lousada e aos lousadenses.

 

IN Conferência de Imprensa – “Primeiro Ano de Mandato 2013/2017” 

 

Lousada, 29 de setembro de 2014 - Coligação LOUSADA VIVA (PPD-PSD / CDS-PP)

publicado por José Carlos Silva às 18:54 | link do post | comentar