Joga-se todos os dias

 

Há dias assim. Há dias em que tudo parece correr pelo melhor e estranhamente soa a falso. E há um jogo que se percebe, que se entende. E há um tempo de espera obrigatório ou um tempo feito de nada que nunca apagará os medos dos erros cometidos no passado, pois o grande problema do ser humano é sempre o passado e tudo aquilo que o envolve. Então joga-se como se tudo não fosse uma mera sombra difusa da vida. Joga-se todos os dias, mais do que uma vez ao dia, colocando-se as pedras no tabuleiro. E há sempre aqueles que se limitam a assistir e a rirem-se como se a vida fosse uma eterna comédia.

publicado por José Carlos Silva às 22:29 | link do post | comentar