Quarta-feira, 25.07.12

Espontâneas

 

Seja um governo de direita (demora menos tempo), seja um governo de esquerda (demora mais tempo), desde os primórdios da democracia que o país assiste a uma cenografia que se repete de forma continuada, num registo habitual e numa motivação sempre igual. A cartilha nunca diverge, dificilmente há inovação, a matriz persiste ao longo destas décadas, num objetivo claro: fazer da rua um instrumento de luta.

O PCP negará sempre qualquer realidade possível ou imaginável. Os rostos das manifestações «espontâneas» que os diversos braços da CGTP-IN movimenta, de forma articulada, são todos cidadãos comuns.

Não é por acaso que os professores-sindicalistas custam ao estado – a todos nós – perto de 9 milhões de euros. E podem, por isso acorrer a estas manifestações ditas «espontâneas». Quanto custarão todos os funcionários-sindicalistas ao estado, a todos nós? Que têm disponibilidade para as manifestações espontâneas!!! Para vaiar, etc.? Bom, são vaias de luxo. Sem dúvida!

Estas manifestações «espontâneas», «organizadas», fazem parte da cenografia e do folclore político. Elas servem também para dirimir as angústias dos portugueses e são uma forma de esvaziar as tensões e as dúvidas da pátria. São isso tudo. Mas a verdade é que o custo também é oneroso.

O PCP sabe-o. Isto é, não sabe de nada. Nunca soube. A CGTP_IN também o sabe. Mentira. De nada sabe. E andamos nisto desde 1974.

publicado por José Carlos Silva às 23:15 | link do post | comentar

Que se dane o país.

 

Pedro Passos Coelho utilizou uma expressão bem popular «QUE SE LIXEM AS ELEIÇÕES.» para enfatizar a importância que está a imprimir à reestruturação e saneamento das finanças públicas.

Qualquer português ou portuguesa sabe da imensa importância que o saneamento das finanças públicas e o pagamento da divida significa para o bem-estar e para o futuro de Portugal.

Que o 1º ministro se centre nesse esforço colossal e se esteja borrifando para os tradicionais «joguinhos» de quem é que vai ganhar as eleições é de todo louvável.

Daí não entender as declarações dos líderes partidários – que deviam ser responsáveis, e ter em conta o bem de Portugal, e não foram – que produziram comentários de meninos birrentos e de quem coloca os resultados eleitorais como a principal razão de vida e o país que se dane.

Olhei e ouvi Zorrinho – líder parlamentar do maior partido da oposição e um partido do arco do poder, um partido que há pouco mais de um ano governava Portugal e que assinou o acordo com a Troica, pois Sócrates tinha levado o país à bancarrota – e reparei que aquilo que mais interessa ao PS, aos socialistas é o combate político, são os resultados eleitorais nos Açores e nas Autárquicas e o futuro do país que se dane.

É triste. Muito triste quando o PS, quando os socialistas, quando um partido do arco do poder e que se atravessou na rubrica do pedido de resgate com a troica, assim proceda. Para os socialistas, que se dane o país.

publicado por José Carlos Silva às 22:15 | link do post | comentar

Depois de ter testemunhado em Tribunal - Antonino de Sousa afasta qualquer ligação à “Máfia do Vale do Sousa”

 

A Câmara Municipal de Penafiel promoveu, nesta quarta-feira, uma conferência de imprensa para afastar “qualquer especulação” sobre o envolvimento de Antonino de Sousa no processo “Máfia do Vale do Sousa”. Acompanhado pelo presidente Alberto Santos e restantes colegas de vereação, o autarca que, no início da semana, depôs no Tribunal de Penafiel, garantiu que sempre colaborou com as autoridades policiais e que foi fruto do trabalho do pelouro da Segurança que aconteceram muitas das detenções dos actuais 44 arguidos.

Colaboração directa com as autoridades policiais

Antonino de Sousa foi a única testemunha ouvida na segunda-feira no âmbito do processo conhecido por "Máfia do Vale do Sousa". O vereador foi arrolado como testemunha após o seu nome ter sido referido por um dos arguidos durante uma escuta telefónica e depois do depoimento de Tiago Soares, adjunto do ex-vereador Mário Magalhães.

Dois dias depois, em conferência de imprensa, o autarca afastou qualquer ligação ao grupo acusado de crimes como associação criminosa, extorsão e segurança ilegal. "Não queremos que a minha presença em Tribunal seja objecto de qualquer especulação", disse.

Antonino de Sousa referiu também que ficou "surpreendido" por não ter sido chamado mais cedo a depor. "Há, no processo, um ofício assinado por mim a relatar queixas de munícipes relativamente à insegurança vivida na cidade", explicou.

"Queria que ficasse claro que foi por nossa acção que o processo chegou ao ponto actual", destacou ainda. Antonino de Sousa acrescentou que a segurança é para a autarquia "uma matéria de Estado" e lembrou que "a Câmara sempre teve uma relação de muita proximidade com as forças de segurança".

Na mesma conferência de imprensa, o vereador Adolfo Amílcar assegurou que as empresas de segurança privada SPDE e Segureza, ambas ligadas a arguidos da Máfia do Vale do Sousa, nunca foram contratadas pela empresa municipal Penafiel Activa ou pela própria autarquia.

 

Por: Roberto Bessa Moreira, verdadeiro olhar

publicado por José Carlos Silva às 19:10 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
31

posts recentes

últ. comentários

  • Gostei desse blog, visite o meu: http://thefamosos...

Posts mais comentados

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds