Domingo, 16.02.14

Cumpre a regra: sê rebanho, nunca ovelha.

Cumpre a regra: finge que tudo está bem.

Cumpre a regra: finge, nunca digas não.

Cumpre a regra: finge sorrir, mesmo quando não te apetece sorrir.

Cumpre a regra: fala, mesmo que te apeteça virar as costas.

Cumpre a regra: sê amigo, mesmo não sendo amigo.

Cumpre a regra: diz a verdade, mesmo que não seja a verdade.

Cumpre a regra: mente, mesmo que não seja mentira.

Cumpre a regra: não sejas feliz, não queiras ser feliz, não tentes ser feliz, há sempre alguém que não aceita que sejas feliz.

Cumpre a regra: sempre que pensares estar certo estás errado, quando pensares estar no caminho da verdade estás, precisamente, no caminho da perdição, dir-te-ão.

Cumpre a regra: a parecer-te-á uma tremenda chatice, contudo tudo será mais fácil, o mal passar-te-á ao lado e a vida será um permanente sorriso.

Cumpre a regra: sê rebanho, nunca ovelha.

Cumpre a regra: vai à festa, mesmo que não queiras ir à festa.

Cumpre a regra: não faltes a reuniões, mesmo que vás a reuniões, mesmo que vás a reuniões, mesmo não sejas convidado para ires a reuniões, mesmo que as reuniões sejam uma perda de tempo, mero entretimento, para papalvos e gambuzimos, mesmo assim vai às reuniões, é importante ir a reuniões.

Cumpre a regra: sorri, é bom sorrir.

Cumpre a regra: sê tu mesmo, sabendo dessa dificuldade e sabendo que não querem que sejas tu mesmo, mas sê tu mesmo.

In diário, 16 de fevereiro de 2014, por José Carlos Silva

publicado por José Carlos Silva às 15:05 | link do post | comentar
Sexta-feira, 07.02.14

Qualquer evento tinha de congregar pelo menos quinhentas pessoas.

 

Honorato da Silva não queria saber de impossíveis - Nunca esquecerei, dizia Aniceto Simões num secretismo absurdo, divertia-me com aquele jogo, absurdo mas tremendamente divertido. Sabem, apreciava aquela lucidez maquiavélica do Honorato da Silva, titular político no concelho. Honorato da Silva elevava a fasquia, nunca fazendo nada por baixo. Qualquer evento tinha de congregar pelo menos quinhentas pessoas. Nunca menos. E como se reunia tanta gente! O processo era sempre o mesmo: o concelho comportava quarenta freguesias, portanto as contas eram fáceis de fazer: cada titular de cada freguesia arrebanhava pelo menos dez, dez que nunca podiam faltar. O resto era o povo político, e aí estavam os quinhentos ilustres que Honorato da Silva tinha pintado.

publicado por José Carlos Silva às 22:21 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2014

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

posts recentes

últ. comentários

  • Gostei desse blog, visite o meu: http://thefamosos...

Posts mais comentados

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds